Costumamos dizer que a repetição para hipertrofia é a mãe do aprendizado. Pois bem, considerando que a contração muscular é uma informação para o desenvolvimento deste tecido, a repetição para hipertrofia também segue este princípio mesmo dentro das perspectivas de individualidade e especificidade do sujeito/objetivo.

Neste sentido hoje eu trago para vocês um fragmento do trabalho de Bartolomei e cols onde o efeito do volume de treino se mostrou mais eficiente na estimulação da via de síntese do mTOR do que a intensidade.

Comparação da resposta de recuperação de exercícios resistidos de alta intensidade e alto volume em homens treinados.

Mas PONDEREM, não tomem isto como verdade absoluta por 3 razões MUITO importantes:

  • Um trabalho científico não prova nada. Ele mostra, quando bem feito, evidências.
  • Antes de aplicar em você identifique o que você está fazendo agora porque pode ser que você acha que está fazendo algo que realmente não está! Não adianta buscar o caminho certo se você já estava nele… SAIBA em que situação você se encontra.
  • Lembrem-se que o processo de treinamento cria um equilíbrio DINÂMICO e que o que é bom para um momento pode não ser a resposta para o seguinte e vice versa. Atingido um ajuste, uma nova intervenção se torna necessária. Em miúdos, se você fez seu microciclo de choque, provavelmente precisa do seu regenerativo, logo não é bem volume que irá te beneficiar de pronto.

Estude de forma a não desprezar as entrelinhas, principalmente porque são elas que te direcionam para o mais importante de tudo, avaliar o indivíduo, ainda que seja você mesmo, para saber qual a próxima etapa a ser seguida.

E lembre-se, a ciência não é uma doutrina. É apenas mais uma forma de dúvida constante construída sobre conhecimento recente. Portanto, se você tem muita certeza, ou dúvida nenhuma, provavelmente está mais perto do erro do que imagina…

Referencia: @paulomuzy


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *