O açafrão é uma planta da família do gengibre, originária da Ásia. Sua utilização mais comum é na forma de tempero, especiaria.

Pode ser chamado também de açafrão-da-terra, cúrcuma, açafrão da Índia e gengibre amarelo. Mas, além de dar sabor aos alimentos, a cúrcuma se destaca por oferecer inúmeros benefícios à saúde, especialmente devido à presença da curcumina, um flavonoide que é seu principal componente.

Abaixo, você confere quais são os benefícios comprovados da cúrcuma, como consumi-lo e ideias de receitas que contam com a especiaria como ingrediente.

Benefícios do Açafrão

Atualmente a cúrcuma é visto como uma das especiarias mais completas que existe. Vários estudos têm apontado as vantagens que ele oferece para o corpo e para o cérebro. Conheça as principais:

  • Açafrão Componente com Poderosas Propriedades Medicinais – Pâmela Miguel, nutricionista da Clínica de Nutrição Funcional de São Paulo, destaca que a cúrcuma (como também é bastante conhecido) possui um grande número de compostos com ações benéficas ao organismo, porém é a curcumina, um flavonoide, seu principal componente. “A curcumina é a responsável pela ação anti-inflamatória, antioxidante, antidiabética, antitumoral, antiviral, antibacteriana e antifúngica”, explica a nutricionista.
  • Ajuda Melhorar a Função Cerebral – “Devido à presença de seus compostos, o açafrão tem papel de aumentar o fator neurotrófico, que é responsável pela multiplicação de neurônios e formação de novas ligações e sinapses entre eles, melhorando, assim, a função cerebral e reduzindo os riscos de doenças como o Alzheimer”, diz Pâmela.
  • Açafrão Ajuda a Reduzir o Risco de Doenças do Coração – Pâmela explica que isso acontece devido à sua potente ação antioxidante, que combate o excesso de radicais livres, causadores do chamado estresse oxidativo (que, por sua vez, está associado às doenças cardiovasculares). “Além disso, o açafrão tem atuação na redução do LDL (colesterol ruim)”, acrescenta a nutricionista.
  • Açafrão Ajuda a Prevenir o Cancro – Pâmela destaca que vários estudos associam o consumo da cúrcuma com a prevenção do câncer.
    “Os componentes fitoquímicos do açafrão possuem ação anti-inflamatória, reduzindo a inflamação no organismo, e o desenvolvimento de tumores está relacionado a um meio pró-inflamatório no organismo. Estudos também indicam que os fitoquímicos presentes no açafrão inibem a proliferação das células cancerígenas”, explica.
  • Curcumina Ajuda a Prevenir e Tratar Alzheimer – “Devido à sua ação antioxidante, neuro protetora e antienvelhecimento, a curcumina previne a degeneração cerebral. Estudos também indicam que uma dieta rica em antioxidantes reduz a inflamação que, por sua vez, está associada ao risco de demência e alterações cerebrais”, diz Pâmela.
  • Açafrão Ajuda Prevenir Diferentes Doenças – Pâmela lembra que a cúrcuma contém um flavonoide, a curcumina, que possui ações anti-inflamatória, antioxidante, antidiabética, antitumoral, antiviral, antibacteriana e antifúngica. Tais propriedades fazem com que a cúrcuma atue na prevenção, não só do câncer, da doença de Alzheimer e de doenças cardiovasculares, mas também: de artrite, alergias, gastrites e diabetes.
  • Dicas de Consumo do Açafrão – Pâmela explica que o açafrão pode ser utilizado como tempero de carnes, peixes, frango. “Também pode ser utilizado em preparações como arroz, sopas, molhos e massas. Ou ainda, pode ser adicionado a sucos naturais.” De acordo com a nutricionista, o açafrão pode ser combinado com outras ervas secas para ser utilizado como tempero básico no dia a dia. “Algumas sugestões de ervas são: orégano, salsinha desidratada, cebolinha desidratada, alecrim desidratado, alho desidratado. Combinar o açafrão com a pimenta-do-reino é uma boa opção também, pois a piperina favorece a absorção do açafrão”, acrescenta Pâmela. A nutricionista destaca que, no caso do açafrão na forma de raiz, a quantidade diária ideal é de duas a três rodelas. “Na forma de pó, a quantidade diária ideal é de uma colher de chá ao dia (aproximadamente 5g)”, diz.
  • Usos Medicinais e Caeiros – A cúrcuma pode ter usos que vão além do fato de dar mais sabor a um prato! Conheça alguns deles abaixo.
    O açafrão é muito utilizado na medicina Ayurvedica, na forma de chás ou misturados a bebidas quentes como leite. Pode ajudar a tratar gripes e resfriados, por exemplo. Basta misturar uma pitada de açafrão com uma xícara de leite e uma pitada de açúcar demerara ou mascavo. Pode ajudar ainda a combater a dor de garganta. Basta polvilhar uma colher (chá) de mel com pitadinhas de cúrcuma e lamber aos poucos a mistura. O açafrão pode ser usado como um esfoliante natural para a pele, ajudando a remover as células mortas, deixando a pele suave e com brilho. Misture três colheres (sopa) de açafrão em pó com um pouco de água e aplique na parte do corpo desejada. Depois enxague. A pasta de cúrcuma com mel também pode ser aplicada no rosto e pescoço para esfoliar a pele. Pequenas queimaduras na pele, cortes ou feridas, o açafrão pode ser um bom aliado devido às suas propriedades anti-sépticas. Misture um pouco de açafrão com gel de aloe vera e aplique no local desejado. A cúrcuma pode ser aplicado ainda em calcanhares rachados. Basta misturar uma pitada com óleo de coco e aplicar preferencialmente 15 minutos antes do banho. Esses são alguns exemplos de receitas caseiras com a cúrcuma. Vale destacar, porém, que tais receitas não possuem comprovação científica. O ideal é que o consumo e/ou uso da cúrcuma seja feito sob orientação de um profissional nutricionista ou médico, para evitar surpresas desagradáveis.

Contraindicações e Cuidados

Pâmela explica que a cúrcuma não deve ser utilizada por pessoas que possuem cálculos na vesícula, pois ela aumenta contrações biliares. “Gestantes e lactantes também devem utilizá-la somente com orientação médica ou nutricional, pois ela pode estimular contrações uterinas. Sua toxicidade é baixa, porém, consumos exagerados (acima de 10g por dia) podem causar sintomas, como náusea, desconforto gástrico, dermatite”, orienta Pâmela. Alergias específicas à planta também podem existir, de acordo com a nutricionista. Por isso, ainda que o produto seja natural, o ideal é sempre usar/consumir com cautela e, preferencialmente, com orientação profissional.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *