Frutose Quase Tão Perigoso Quanto o Álcool!

Frutose, Quase Tão Perigoso Quanto o Álcool!

Uma caloria não é só uma caloria. A fonte dessas calorias é o que faz a grande diferença.

Cientistas descobriram que o aumento do consumo total de gorduras saturadas e carboidratos simples é o que está causando a pandemia de obesidade e sobrepeso, há apenas um alimento na terra que é metabolizado como um carboidrato que se transforma OBRIGATORIAMENTE em gordura, a FRUTOSE.

Quando falamos em frutose não entenda apenas frutas, mas o AÇÚCAR COMUM (SACAROSE) é formado por uma molécula de glicose associada a outra molécula de FRUTOSE(sendo 50% de cada), o xarope de milho pode ter até 55% de frutose, no xarope de agave, que muita lojas de produtos para diabéticos vendem como adoçante, os níveis de frutose podem superar 85%.

Em 1985, quando o consumo mundial de açúcar foi de 98 milhões de toneladas, a diabetes afetou 30 milhões de pessoas, em 2010 o consumo de açúcar subiu para 160 milhões de toneladas e a prevalência global de diabetes atingiu 346 milhões de pessoas.

A glicose é a forma de energia para qual o seu corpo foi projetado para poder utilizar, por outro lado a frutose pode apenas ser metabolizada no fígado, porque o fígado é o único órgão com o transporte bioquímico para ela.

Frutose é Idêntica ao Álcool

Na verdade a Frutose é VIRTUALMENTE idêntica ao Álcool em relação ao dano METABÓLICO a que dá origem, assim como ÁLCOOL a Frutose é METABOLIZADA EM GORDURA, e não diretamente como energia celular tal como a glicose.

Metabolismo da Glicose

A Glicose que o seu organismo não precisa é imediatamente convertida em glicogênio para ser armazenado em seu fígado, o glicogênio é facilmente convertido em energia quando necessário.

Uma pequena quantidade de piruvato é produzida o que eventualmente se converte ATP e CO2, o pâncreas libera insulina em resposta à glicose no sangue aumentada o que ajuda a glicose a entrar nas células quando você come 120 calorias de glicose, menos de uma caloria contribui para resultados metabólicos adversos.

Metabolismo da Frutose

A totalidade (100%) da frutose consumida vai diretamente para o fígado, o metabolismo cria um grande número de efeitos adversos pois a frutose é imediatamente convertida em frutose-1-fosfato (F1F) reduzindo o fosfato das células do fígado, este processo produz produtos residuais na forma de ácido úrico.

O ácido úrico bloqueia uma enzima que produz o óxido nítrico, que é um regulador natural da pressão arterial, quase toda a F1F é convertida em piruvato terminando como citratos, o que resulta em lipogénesis de novo, os produtos finais são os ácidos graxos livres (AGL), LDL e triglicerídeos, a FRUTOSE ESTIMULA o G-3-P, a molécula que é crucial para criar triglicérides nas células adiposas.

Quanto mais G-3-P, mais Gordura é Depositada

Os ácidos graxos livres (AGLs) são exportados a partir do fígado sendo absorvidos pelo músculo esquelético, causando a resistência à insulina e diabetes tipo 2, alguns ácidos graxos livres também permanecem no fígado levando à acumulação de gordura, a resistência à insulina e esteatose, quando você come 120 calorias em frutose, cerca de 40 calorias contribuem para os problemas metabólicos.

Comer muitas Frutas não Significa Saúde

Se você quiser manter um peso saudável a longo prazo e diminuir o risco de diabetes, doenças cardíacas e câncer, restrinja o consumo de frutose para não mais do que 20 gramas por dia, se você já estiver com sobrepeso ou com algumas daquelas doenças, ou estiver com grande risco para estas doenças, melhor será reduzir o consumo para 10 a 15 gramas por dia.

As frutas podem ser ingeridas limitando-se a faixa de 10 a 20 gramas de frutose ao dia como primeiro alimento ao acordarmos ou após exercícios extenuantes, a razão é que nestes momentos nosso estoque de glicogênio no fígado encontra-se muito baixo, quando isto acontece o fígado tem a capacidade de metabolizar uma quantidade de frutose não superior a 25 gramas em glicogênio hepático.

 

 

 

 

Referencia:@drflavioformigoni

Talvez Você Goste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *